EVANGELHO DO DIA E HOMILIA

O AMANHECER DO EVANGELHO

REFLEXÕES E ILUSTRAÇÕES DE PE. LUCAS DE PAULA ALMEIDA, CM

   III DOMINGO DO TEMPO COMUM

        TEMA DO DIA – O AMANHECER DO EVANGELHO

                              TEMA DO DIA – O AMANHECER DO EVANGELHO

                                                                                                   III DOMINGO DO TEMPO COMUM1) Oração

Nós vos pedimos, Ó Deus, que o esplendor da vossa glória ilumine os nossos corações para que, passando pelas trevas deste mundo, cheguemos à pátria da luz que não se extingue. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.2) Leitura do Evangelho (Mateus 4,12-17.23-25)

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo, segundo Mateus – 12Quando soube que João tinha sido preso, Jesus retirou-se para a Galiléia. 13Deixou Nazaré e foi morar em Cafarnaum, às margens do mar da Galiléia, 14no território de Zabulon e de Neftali, para cumprir-se o que foi dito pelo profeta Isaías: 15 “Terra de Zabulon, terra de Neftali, caminho do mar, região além do Jordão, Galiléia, entregue às nações pagãs! 16 O povo que ficava nas trevas viu uma grande luz, para os habitantes da região sombria da morte uma luz surgiu”. 17Daí em diante, Jesus começou a anunciar: “Convertei-vos, pois o Reino dos Céus está próximo”. 23Jesus percorria toda a Galiléia, ensinando nas sinagogas, anunciando a Boa Nova do Reino e curando toda espécie de doença e enfermidade do povo. 24Sua fama também se espalhou por toda a Síria. Levaram-lhe todos os doentes, sofrendo de diversas enfermidades e tormentos: possessos, epiléticos e paralíticos. E ele os curava. 25Grandes multidões o acompanhavam, vindas da Galiléia, da Decápole, de Jerusalém, da Judéia e da região do outro lado do Jordão. Palavra da salvação.3) Reflexão

Entre os nomes pelos quais Jesus é chamado, há também o de “Galileu”, ou “o Rabi da Galiléia”. Pois foi na Galiléia que ele viveu toda a sua vida oculta e a maior parte de sua vida pública. E todo o renome que tem na História e na religião essa região do Norte da Palestina se deve ao Evangelho. Lá Jesus viveu, pregou, realizou milagres, e lá se deram alguns dos fatos mais importantes de sua vida, como a convocação dos primeiros discípulos. São Mateus, que é particularmente cuidadoso em mostrar como tudo o que aconteceu com Jesus estava predito nos profetas, dá também o fato da ligação de Jesus como Galiléia como cumprimento de uma profecia de Isaías: “No passado Deus humilhou a terra de Zabulon e a terra de Neftali, mas no futuro Ele glorificará o caminho do mar – justamente a estrada que ligava a margem ocidental do mar de Tiberíades com a Galiléia superior -, a Transjordânia e a Galiléia das nações – assim chamada, porque na sua população havia grande número de gentios, resultado de infiltrações acontecidas ao longo de sua história -.O povo que caminhava na escuridão viu um grande clarão; sobre os que habitavam na região tenebrosa começou a brilhar a luz” ( cfr Is 9,1-4). Essa luz é Cristo que brilhou para a Galiléia.A pregação de Jesus, o Messias preparado e anunciado por João Batista, se resume nesta fervorosa exortação: “Convertei-vos, porque está próximo o Reino dos céus” (Mt 4,17). Como, aliás, pregara o Batista. É o convite à penitência, no sentido de mudança de vida, a transformação da mentalidade – a “metanóia” – que nos prepara para pertencermos ao Reino de Deus. Toda a pregação e os prodígios realizados por Jesus se dirigirão nesse sentido. Com Ele deve começar um mundo novo.Jesus realizou seu ministério na Galiléia. Mas não ficou em Nazaré. Mudou-se para Cafarnaum, situada à beira do lago, lugar muito mais propício para ser seu centro de atividade. A vida dos moradores de Cafarnaum era normalmente unida à atividade da pesca. E foi justamente à beira do lago e entre os pescadores que Jesus convocou seus primeiros discípulos. Quando releio essa página do Evangelho em que se conta como Jesus acolhe André e Pedro, retirando-os dos barcos e das redes, para fazê-los pescadores de homens, e depois chama Tiago e João, e aos poucos vai convocando os outros para o seguirem, sempre me fica a impressão de estar assistindo ao amanhecer do Evangelho. São os primeiros clarões da manhã e fica a sensação agradável de um ar puro de madrugada. E o dia se irá clareando sempre mais, à medida que a fama de Jesus for crescendo entre todos os que ouvirem sua doutrina e virem seus milagres. Um dia será o mundo inteiro a receber o clarão dessa luz do céu. A profecia de Isaías vai-se cumprir em plenitude: “Sobre os que habitavam a região tenebrosa começou a brilhar a luz” (V. supra).É muito frequente na Bíblia a imagem da luz como expressão da ação de Deus Salvador. E isso se vai tornar insistente no Evangelho, a começar pelas palavras do velho Simeão no Templo, quando se referiu ao Menino Jesus como “a luz que veio iluminar os povos (Lc 2,32). Em São João essa idéia aparece a todo momento. Assim no prólogo: “(Jesus) era a luz verdadeira que, vindo ao mundo, ilumina a todo homem” (Jo 1,9). O juízo de condenação do mundo acontece porque “a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a Luz” (Ibid. . 3, 19). E isso, como comenta o evangelista, não se refere apenas ao repúdio da verdade para abraçar o erro; mas se refere a todo o mundo diabólico, como fundo de maldade em que se movem os homens maus. Os maus gostam das trevas – é ideia muito frequente no Novo Testamento – porque têm medo da luz que lhes aponta suas obras más. Ao passo que os bons amam a luz, e praticam o bem aos olhos de todos.E sobre todas essas reflexões paira a solene palavra de Jesus: “Eu sou a luz do mundo; quem me segue, não caminha nas trevas” (Ibid. 8,12). Não sem misterioso significado, na hora da morte de Jesus no Calvário “estenderam-se as trevas sobre toda a terra” (Mt 27,45). Com Cristo, a luz. Sem Cristo, a escuridão.4) Para um confronto pessoal

  1. Será que alguma luz se irradia de você para os outros?
  2. Hoje, muitos se fecham na religião católica. Como viver hoje a universalidade da salvação?

5) Oração finalORAÇÃO DO AMANHECERNo silêncio deste dia que amanhece, venho pedir-Te a paz, a sabedoria a força. Quero olhar hoje o mundo com olhos cheios de amor; ser paciente; compreensivo, manso e prudente, ver além das aparências teus filhos como Tu mesmo os vês, e assim não ver senão o bem em cada um. Cerra meus ouvidos a toda calúnia. Guarda minha língua de toda maldade. Que só de benção se encha meu espírito. Que eu seja tão bondoso e alegre, que todos quantos se achegarem a mim sintam Tua presença. Reveste-me de Tua beleza, Senhor, e que no decurso deste dia, eu Te revele a todos.Vou proclamar o decreto do SENHOR: Ele me disse: “Tu és o meu Filho, eu hoje te gerei! (Sl 2, 7)Leituras do III Domingo do Tempo Comum – Ano A:

1a) Is 9,1-4

2a) 1Cor 1,10-13.17

3a) Mt 4,12-23

      EVANGELHO DO DIA E HOMILIA

O AMANHECER DO EVANGELHO

REFLEXÕES E ILUSTRAÇÕES DE PE. LUCAS DE PAULA ALMEIDA, CM

                                                                                   III DOMINGO DO TEMPO COMUM                                                                                  

                                                                                 TEMA DO DIA – O AMANHECER DO EVANGELHO   1) Oração

Nós vos pedimos, Ó Deus, que o esplendor da vossa glória ilumine os nossos corações para que, passando pelas trevas deste mundo, cheguemos à pátria da luz que não se extingue. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.2) Leitura do Evangelho (Mateus 4,12-17.23-25)

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo, segundo Mateus – 12Quando soube que João tinha sido preso, Jesus retirou-se para a Galiléia. 13Deixou Nazaré e foi morar em Cafarnaum, às margens do mar da Galiléia, 14no território de Zabulon e de Neftali, para cumprir-se o que foi dito pelo profeta Isaías: 15 “Terra de Zabulon, terra de Neftali, caminho do mar, região além do Jordão, Galiléia, entregue às nações pagãs!16 O povo que ficava nas trevas viu uma grande luz, para os habitantes da região sombria da morte uma luz surgiu”. 17Daí em diante, Jesus começou a anunciar: “Convertei-vos, pois o Reino dos Céus está próximo”.23Jesus percorria toda a Galiléia, ensinando nas sinagogas, anunciando a Boa Nova do Reino e curando toda espécie de doença e enfermidade do povo. 24Sua fama também se espalhou por toda a Síria. Levaram-lhe todos os doentes, sofrendo de diversas enfermidades e tormentos: possessos, epiléticos e paralíticos. E ele os curava. 25Grandes multidões o acompanhavam, vindas da Galiléia, da Decápole, de Jerusalém, da Judéia e da região do outro lado do Jordão. Palavra da salvação.3) Reflexão

*Uma breve informação sobre o objetivo do Evangelho de Mateus.O Evangelho de Mateus foi escrito na segunda metade do primeiro século para animar as pequenas e frágeis comunidades de Judeus convertidos que vivam na região da Galiléia e da Síria. Elas sofriam perseguições e ameaças da parte dos irmãos judeus pelo fato de aceitarem Jesus como messias e de acolherem os pagãos. Para fortalecê-las na fé, o evangelho de Mateus insiste em dizer que Jesus é realmente o Messias e que a salvação trazida por ele não é só para os judeus, mas para toda a humanidade. Logo no início do seu evangelho, na genealogia, Mateus já aponta para a vocação universal de Jesus, pois como “Filho de Abraão” (Mt 1,1.17) ele será “fonte de bênção para todas as nações do mundo” (Gên 12,3). Na visita dos magos, vindos do Oriente, ele sugere novamente que a salvação se dirige aos pagãos (Mt 2,1-12). No texto de evangelho de hoje, ele mostra como a luz que brilhou na “Galiléia dos Gentios” brilha também fora das fronteiras de Israel, na Decápole e no além-Jordão (Mt 4,12-25). Mais adiante, no Sermão da Montanha, Jesus dirá que a vocação da comunidade cristã é ser “sal da terra e luz do mundo” (Mt 5,13-14) e pede amor aos inimigos (Mt 5,43-48). Jesus é o Servo de Deus que anuncia o direito às nações (Mt 12,18). Ajudado pela mulher Cananéia, o próprio Jesus ultrapassa as fronteiras da raça (Mt 15,21-28). Ultrapassa também as leis da pureza que impediam a abertura do Evangelho para os pagãos (Mt 15,1-20). E no final, quando Jesus envia seus discípulos a todas as Nações, fica ainda mais clara a universalidade da salvação (Mt 28,19-20). Da mesma maneira, as comunidades são chamadas a abrir-se para todos, sem excluir ninguém, pois todos são chamados a viver como filhos e filhas de Deus.*O evangelho de hoje descreve como se iniciou esta missão universal. Foi a notícia da prisão de João Batista que levou Jesus a começar sua pregação. João tinha dito: “Arrependei-vos, porque o Reino de Deus está próximo!” (Mt 3,2). Por isso ele foi preso por Herodes. Quando Jesus soube que João foi preso, voltou para a Galiléia anunciando a mesma mensagem: “Arrependei-vos, porque o Reino de Deus está próximo!” (Mt 4,17) Com outras palavras, desde o início, a pregação do evangelho trazia riscos, mas Jesus não recuou. Deste modo, Mateus anima as comunidades que estavam correndo os mesmos riscos de perseguição. E ele cita o texto de Isaías: “O povo que jazia nas trevas viu uma grande luz!” Como Jesus, as comunidades são chamadas a ser “Luz dos povos”.    *Jesus começa o anúncio da Boa Nova andando por toda a Galiléia. Ele não fica parado, esperando que o povo chegue e vá até ele. Ele mesmo vai nas reuniões do povo, nas sinagogas, para anunciar sua mensagem. O povo leva a ele os doentes, os endemoniados, e Jesus acolhe a todos e os cura. Este serviço aos doentes faz parte da Boa Nova e revela ao povo a presença do Reino.  *Assim, a fama de Jesus se espalha por toda a região, atravessa as fronteiras da Galiléia, penetra na Judéia, chega até Jerusalém, vai para o além Jordão e alcança a Síria e a Decápole. Era nestas mesmas regiões, que se encontravam as comunidades para as quais Mateus estava escrevendo o seu evangelho. Agora, elas ficam sabendo que, apesar de todas as dificuldades e riscos, elas já estão sendo essa luz que brilha nas trevas.4) Para um confronto pessoal

  1. Será que alguma luz se irradia de você para os outros?
  2. Hoje, muitos se fecham na religião católica. Como viver hoje a universalidade da salvação?

5) Oração final

ORAÇÃO DO AMANHECER    No silêncio deste dia que amanhece, venho pedir-Te a paz, a sabedoria a força. Quero olhar hoje o mundo com olhos cheios de amor; ser paciente; compreensivo, manso e prudente, ver além das aparências teus filhos como Tu mesmo os vês, e assim não ver senão o bem em cada um. Cerra meus ouvidos a toda calúnia. Guarda minha língua de toda maldade. Que só de benção se encha meu espírito. Que eu seja tão bondoso e alegre, que todos quantos se achegarem a mim sintam Tua presença. Reveste-me de Tua beleza, Senhor, e que no decurso deste dia, eu Te revele a todos.Vou proclamar o decreto do SENHOR: Ele me disse: “Tu és o meu Filho, eu hoje te gerei! (Sl 2, 7)

Leituras do III Domingo do Tempo Comum – Ano A:

1a) Is 9,1-4

2a) 1Cor 1,10-13.17

3a) Mt 4,12-23