O AMANHECER DO EVANGELHO

REFLEXÕES E ILUSTRAÇÕES DE PE. LUCAS DE PAULA ALMEIDA, CM

 Terça-feira da 3ª Semana do Tempo Comum

                                                                                                  TEMA DO DIA: A família de Jesus.1) Oração

Deus eterno e todo-poderoso, dirigi a nossa vida segundo o vosso amor, para que possamos, em nome do vosso Filho, frutificar em boas obras. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.2) Leitura do Evangelho (Marcos 3,31-35)

Naquele tempo, 31chegaram a mãe de Jesus e seus irmãos. Eles ficaram do lado de fora e mandaram chamá-lo. 32Havia uma multidão sentada ao redor dele. Então lhe disseram: “Tua mãe e teus irmãos estão lá fora à tua procura”. 33Ele respondeu: “Quem é minha mãe, e quem são meus irmãos?” 34E olhando para os que estavam sentados ao seu redor, disse: “Aqui estão minha mãe e meus irmãos. 35Quem faz a vontade de Deus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe”.– Palavra da Salvação.3) Reflexão

* A família de Jesus. Os parentes chegam na casa onde Jesus estava. Provavelmente tinham vindo de Nazaré. De lá até Cafarnaum são uns 40 quilômetros. Sua mãe veio junto. Eles não entram, mas mandam recado: Tua mãe, teus irmãos e tuas irmãs estão lá fora e te procuram! A reação de Jesus é firme: Quem é minha mãe, quem são meus irmãos? E ele mesmo responde apontando para a multidão que estava ao redor: Eis aqui minha mãe e meus irmãos! Pois todo aquele que faz a vontade de Deus é meu irmão, minha irmã, minha mãe! Para entender bem o significado desta resposta convém olhar a situação da família no tempo de Jesus.* No antigo Israel, o clã, isto é, a grande família (a comunidade), era a base da convivência social. Era a proteção das famílias e das pessoas, a garantia da posse da terra, o veículo principal da tradição, a defesa da identidade. Era a maneira concreta do povo daquela época encarnar o amor de Deus no amor ao próximo. Defender o clã era o mesmo que defender a Aliança.* Na Galiléia do tempo de Jesus, por causa do sistema implantado durante os longos governos de Herodes Magno (37 a.C. a 4 a.C.) e de seu filho Herodes Antipas (4 a.C. a 39 d.C.), o clã (a comunidade) estava enfraquecendo. Os impostos a serem pagos, tanto ao governo como ao templo, o endividamento crescente, a mentalidade individualista da ideologia helenista, as freqüentes ameaças de repressão violenta por parte dos romanos, a obrigação de acolher os soldados e dar-lhes hospedagem, os problemas cada vez maiores de sobrevivência, tudo isto levava as famílias a se fecharem dentro das suas próprias necessidades. Este fechamento era reforçado pela religião da época. Por exemplo, quem dedicava sua herança ao Templo podia deixar seus pais sem ajuda. Isto enfraquecia o quarto mandamento que era a espinha dorsal do clã (Mc 7,8-13). Além disso, a observância das normas de pureza era fator de marginalização de muita gente: mulheres, crianças, samaritanos, estrangeiros, leprosos, possessos, publicanos, doentes, mutilados, paraplégicos.* Assim, a preocupação com os problemas da própria família impedia as pessoas de se unirem em comunidade. Ora, para que o Reino de Deus pudesse manifestar-se na convivência comunitária do povo, as pessoas tinham de ultrapassar os limites estreitos da pequena família e abrir-se, novamente, para a grande família, para a Comunidade. Jesus deu o exemplo. Quando sua própria família tentou apoderar-se dele, reagiu e alargou a família: “Quem é minha mãe, quem são meus irmãos? E ele mesmo deu a resposta apontando para a multidão que estava ao redor: Eis aqui minha mãe e meus irmãos! Pois todo aquele que faz a vontade de Deus é meu irmão, minha irmã, minha mãe! (Mc 3,33-35). Criou comunidade.

* Jesus pedia o mesmo de todos que queriam segui-lo. As famílias não podiam fechar-se. Os excluídos e os marginalizados deviam ser acolhidos dentro da convivência e, assim, sentir-se acolhidos por Deus (cf Lc 14,12-14). Este era o caminho para realizar o objetivo da Lei que dizia: “Entre vocês não pode haver pobres” (Dt 15,4). Como os grandes profetas do passado, Jesus procura reforçar a vida comunitária nas aldeias da Galiléia. Ele retoma o sentido profundo do clã, da família, da comunidade, como expressão da encarnação do amor de Deus no amor ao próximo.4) Para um confronto pessoal

1) Viver a fé em comunidade. Qual o lugar e a influência da comunidade na minha maneira de viver a fé?

2) Hoje, na cidade grande, a massificação promove o individualismo que é o contrário da vida em comunidade. O que estou fazendo para combater este mal?5) Oração final

Esperei firmemente no SENHOR e ele se inclinou para mim, atendendo a minha súplica. Fez-me cantar um canto novo, um louvor ao nosso Deus. (Sl 39, 2.4)

 

EVANGELHO DO DIA E HOMILIA

(LECTIO DIVINA)

REFLEXÕES E ILUSTRAÇÕES DE PE. LUCAS DE PAULA ALMEIDA, CM

 – OS IRMÃOS DE JESUS –

                                                                                        CATÓLICOS – Jesus Cristo é Filho único
                                                                                       PROTESTANTE – Tiago, José, Judas e Simão1) Oração

Ó Deus, sede generoso para com os vossos filhos e filhas e multiplicai em nós os dons da vossa graça, para que, repletos de fé, esperança e caridade, guardemos fielmente os vossos mandamentos. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.2) Leitura do Evangelho (Mt 12,46-50)

Naquele tempo, 46enquanto Jesus falava à multidão, sua mãe e seus irmãos ficaram do lado de fora procurando falar com ele. 47Disse-lhe alguém: Tua mãe e teus irmãos estão aí fora, e querem falar-te.48Jesus respondeu-lhe: Quem é minha mãe e quem são meus irmãos?49E, apontando com a mão para os seus discípulos, acrescentou: Eis aqui minha mãe e meus irmãos.50Todo aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe.UM NOVO LAÇO DE PARENTESCO

Novamente vem o problema dos parentes de Jesus. A Igreja sempre ensina que Jesus é Filho único e unigênito de Maria. Como então aparecem no Evangelho o nome de outros irmãos ?

Os que gostam de reduzir Maria a uma mulher corriqueira, se agarram a esta e outras passagens ( Mc 3,31-35; Lc 8,19; Mt 12,46 ).
Acontece, porém, que no tempo de Jesus, nas famílias hebréias, eram considerados juridicamente irmãos os primos e sobrinhos.

Estas passagens tem um sentido bem mais amplo : Jesus veio criar um novo laço de parentesco, maior que os vínculos do sangue e da carne : a família dos que  crêem no Filho de Deus, dos que fazem a vontade do Pai.
A estes Jesus chama de “irmãos, irmãs e mãe ” ( Mt 12,50 ). A esta nova família, a família de Deus na terra , Jesus chamou de Reino dos Céus “.A PALAVRA DE DEUS

“Estando ainda a falar às multidões, sua mãe e seus irmãos estavam fora, procurando falar-lhe” (Mt 12,46 )
“Não é este o carpinteiro, o filho de Maria, irmão de Tiago, José, Judas e Simão? E as suas irmãs não estão aqui entre nós?” (Mc 6,3)
Chegaram, então, a sua mãe e seus irmãos e, ficando do lado de fora, mandaram chamá-lo.

Havia uma multidão sentada em torno dele. Disseram – lhe “A tua mãe, os teus irmãos e as tuas irmãs estão lá fora e te procuram”.E Jesus perguntou : “Quem é minha mãe e meus irmãos ? “E, percorrendo com o olhar os que  estavam sentado ao seu redor, disse : “Eis a minha mãe e os meus irmãos.    Quem fizer a vontade de Deus,esse é meu irmão, irmã e mãe “. (Mc 3,31-35)

“Sua mãe e seus irmãos chegaram até ele, mas não podiam abordá-lo por causa da multidão avisaram- no então: Tua mãe e teus irmãos estão lá fora,querendo te ver .” Mas ele respondeu : “Minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a palavra de Deus e a põem em prática “.QUE SIGNIFICA OS IRMÃOS DE JESUS NA LINGUA DE JESUS ?

Há uma discussão entre católicos e protestantes em torno dos irmãos de Jesus.
Essa expressão ocorre várias vezes nos Evangelhos.
A igreja Católica, apoiando-se na sua própria tradição, já muito antiga, ensina que Nossa Senhora só teve um único filho, Jesus Cristo; e que ela foi sempre virgem antes do parto, no parto e depois do parto.

Os protestantes, apoiando-se na sua própria tradição, explicam  essa expressão ao pé da letra “irmãos de Jesus” e afirmam que Maria teve outros filhos, além de Jesus.
E mostram, por exemplo, o texto de Marcos 6,3: “Não é este o carpinteiro, o filho de Maria, irmão de Tiago, José, Judas e Simão? E as suas irmãs não estão aqui entre nós?”

Tomando este texto ao pé da letra os protestantes  concluem que, depois do nascimento virginal de Jesus, Maria e José tiveram, no mínimo, quatro filhos e duas filhas.
Na Bíblia, a palavra irmão é muito elástica.
Lá dentro cabe muita gente, não só os irmãos filhos dos mesmos pais, mas também os primos e outros parentes.

Era mais ou menos como a palavra primo, hoje, no Brasil.
É também uma palavra muito elástica que não pode ser tomada ao pé da letra, por exemplo, um fulano chega perto de você e diz: “Aquele lá é um primo meu”. Você toma a palavra primo ao pé da letra e pergunta : “Então, é filho do irmão de seu pai ou de sua mãe?”
Ele responde: “Que nada! É filho do irmão de um tio de meu avô!”

Realmente, no Brasil, a gente não pode tomar ao pé da letra a palavra primo. A mesma coisa vale para a palavra irmão na língua de Jesus.
Se você fosse perguntar a São Marcos: “Então, aqueles quatro irmãos de Jesus são todos filhos de José e de Maria?” Ele responderia: “Que nada!
São filhos de uma prima ou irmã da mãe de Jesus!”
De fato o mesmo Marcos diz de Tiago que ele é irmão de Jesus (Marcos 6,3) e filho de uma outra Maria (Marcos 16,1).
São Mateus diz claramente que se tratava de uma “outra Maria” (Mateus 28,1).
Então na Bíblia a palavra irmão ou irmã de Jesus eram primos e primas. ( 6 )

  1. b) EXEMPLOS DA PALAVRA IRMÃO  QUE NÃO É IRMÃO

1)”Disse Abraão a Ló: Peço-te que não haja brigas entre mim e ti, nem entre nossos pastores, pois somos irmãos” (Gênesis 13,8). Ora, a Bíblia nos fala que Ló era filho de Arão, e Arão era irmão de Abraão (GN 11,27-28).
Vejam só: Abraão era tio de Ló e chama Ló de irmão.
2)  “Eleasar morreu e não deixou filhos, mas filhas e estas casaram-se com os filhos de Cis seus irmãos”(1CR 23,22).  Eleasar e Cis eram filhos de Mooli (1CR 23,21).  Logo os filhos de Cis eram primos pri meiros das filhas de Eleasar.  E a Bíblia falou que os filhos de Cis eram “irmãos” das filhas de Eleasar.c) OS CHAMADOS IRMÃOS DE JESUS  O QUE ERAM  ?

Os chamados irmãos de Jesus (Tiago, José, Judas e Simão) são primos.
Descrevendo a cena do calvário São João fala que lá estavam, junto da cruz de Jesus, sua mãe, a irmã de sua mãe, Maria, mulher de Cléofas, e Maria Madalena (João 19,25).
Descrevendo a mesma cena, São Mateus e São Marcos falam que esta outra Maria era mãe de Tiago, o menor e de José (MT 27,56 e MC 15,40).
Vimos então, que Tiago e José chamados por Marcos de irmãos de Jesus eram filhos da outra Maria, a mulher de Cléofas ou Alfeu.

Esta outra Maria era “irmã ” ou prima de Nossa Senhora como disse São João.
Logo, Tiago e José eram primos – primeiros ou primos -segundos  de Jesus. Judas, outro irmão” de Jesus é apontado como irmão de Tiago (LC 6,16) e ele mesmo, na sua          Epístola, fala que é irmão de Tiago (Jd 1).

Logo, ele é também primo de Jesus, o mesmo acontecendo com Simão.
Jesus Cristo, quando estava pregado na cruz, entregou sua Mãe para João tomar conta dela (João 19,27) :

“E a partir dessa hora o discípulo a recebeu em sua casa”.
Ora, se Nossa Senhora tivesse outros filhos e filhas, será que iam deixá-la ir para casa dos outros ou iria entregar sua Mãe ao apóstolo João que era um estranho e não pertencia à família?
Será que estes irmãos, e sobretudo, estas irmãs iriam permitir uma coisa assim?
Disso tudo, nós concluímos que Maria Santíssima só teve mesmo o seu Divino Filho, Jesus Cristo.
E que podemos e devemos chamá-la com o nome de Sempre Virgem Maria.
Nós católicos não queremos ficar discutindo com protestantes.
Mas precisamos sempre esclarecer as verdades de nossa fé, para podermos vivê-la e transmiti-la com firmeza aos outros.
Maria Santíssima é a Virgem Mãe de Deus e nossa.5) Oração final

Cantarei ao Senhor, porque ele manifestou sua glória. Precipitou no mar cavalos e cavaleiros. O Senhor é a minha força e o objeto do meu cântico; foi ele quem me salvou. Ele é o meu Deus – eu o celebrarei; o Deus de meu pai – eu o exaltarei. (Ex 15,1-2).

PERGUNTAS QUE DEVEM SER RESPONDIDAS E ENVIADAS

1. PARA NÓS CATÓLICOS MARIA TEVE QUANTOS FILHOS? QUE FOI ELE?
2.  PARA OS PROTESTANTES QUAIS SÃO OS IRMÃOS DE JESUS?
3. A IGREJA SEMPRE ENSINA QUE JESUS É FILHO ÚNICO E UNIGÊNITO DE
MARIA. COMO ENTÃO APARECEM NO EVANGELHO O NOME DE OUTROS  IRMÃOS ?
4. QUE FALA A SAGRADA ESCRITURA A RESPEITO DOS IRMÃOS DE JESUS?
CITE ALGUMAS PASSAGENS QUE FALAM DESSE ASSUNTO.
5. POR QUE EXISTE UMA DISCUSSÃO ENTRE CATÓLICOS E PROTESTANTES A RESPEITO DOS IRMÃOS DE JESUS? O QUE DIZ OS CATÓLICOS?
6. O QUE DIZ OS PROTESTANTES?
7. O QUE DISSE ABRAÃO A LÓ?
8. CONTE COMO FOI A HISTÓRIA DE ELEASAR, CIS , FILHOS DE MOOLI.
9. OS IRMÃOS DE JESUS QUEM ERAM?
10. O QUE NOS FALA SÃO JOÃO DESCREVENDO A CENA DO CALVÁRIO? QUAL A CONCLUSÃO QUE VOCE TIRA?